0

Como personalizar os seus DNS em sua revenda de hospedagem linux

Você certamente sabe que a internet possui uma infinidade de sites. Para acessá-los, você normalmente digita um endereço no campo correspondente do seu navegador, por exemplo: www.deltaservers.com.br, www.google.com.br e etc.  Mas, você tem ideia de como o computador consegue localizar estes sites, independente de onde estejam hospedados?

É neste ponto que “entra em cena” o trabalho de servidores do tipo DNS (Domain Name System).  Aqui, você saberá o que é isso, entenderá como o DNS funciona e conhecerá conceitos relacionados, como DNSSEC.

Nomes de domínio

Todo site ou serviço na internet precisa de um endereço IP (seja ela IPv4 ou IPv6). Com este recurso, é possível localizar o servidor (ou o conjunto de servidores) que hospeda o site e, assim, acessar as suas páginas.

Agora, imagine ter que se lembrar dos IPs de todos os sites que você acessa diariamente, como Facebook, Twitter, e-mail, portais de notícias, etc. Pois é, praticamente impossível e nada prático, não é mesmo?

É basicamente por isso que utilizamos nomes de domínios para acessar os sites da internet. Com isso, o usuário não precisa saber, por exemplo, o endereço IP da Deltaservers para acessá-la, basta saber o seu domínio, no caso, www.deltaservers.com.br. Trata-se de um esquema bastante prático, afinal, decorar nomes é muito mais fácil do que guardar sequências numéricas. Além disso, mesmo que você não se lembre de um nome com exatidão, poderá digitá-lo em um mecanismo de busca e este o ajudará a encontrá-lo.

Servidores de DNS (Domain Name System)

Os serviços de DNS (Domain Name System – Sistema de Nomes de Domínios) da internet são, em poucas palavras, grandes bancos de dados espalhados em servidores localizados em várias partes mundo. Quando você digita um endereço em seu navegador, como www.deltaservers.com.br, seu computador solicita aos servidores de DNS de seu provedor de internet (ou outros que você tenha especificado) que encontre o endereço IP associado ao referido domínio. Caso estes servidores não tenham esta informação, eles se comunicam com outros que possam ter.

Ajuda neste trabalho o fato de os domínios serem organizados hierarquicamente. Primeiramente temos o servidor raiz (root server), que pode ser entendido como o principal serviço de DNS e é representado por um ponto no final do endereço, como mostra o seguinte exemplo:

www.deltaservers.com.br.

Repare que se você digitar o endereço exatamente como está acima – com ponto no final – em seu navegador, o programa encontrará o site normalmente. No entanto, não é necessário incluir este ponto, já que os servidores envolvidos já sabem de sua existência.

A internet conta (pelo menos até a data de publicação deste texto) com treze servidores raiz, sendo que dez se localizam nos Estados Unidos, dois na Europa (Estocolmo e Amsterdam) e um na Ásia (Tóquio). Quando uma falha, os demais conseguem manter o funcionamento da rede sem maiores complicações.

Há também terminações orientadas a países, chamadas de ccTLDs (Country Code Top Level Domains – algo como Código de País para Domínios de Primeiro Nível). Por exemplo: .br para o Brasil, .ar para a Argentina, .fr para a França e assim por diante. Há combinações também, como .com.br e .blog.br.

Clique aqui para conferir nossos Planos de Revenda cPanel

 

Pensando no bem-estar dos nossos clientes, preparamos um vídeo tutorial de como personalizar os seus DNS em uma revenda de hospedagem linux:


Caso tenha alguma dúvida relacionada a personalização de DNS ou quaquer outro assunto, basta deixar um comentário abaixo, ou se preferir entre contate-nos através do e-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *