O que é RAID e como funciona essa configuração nos servidores web

O RAID (Redundant Array of Independent Disks ou Conjunto Redundante de Discos Independentes) é uma tecnologia utilizada principalmente em servidores que consiste em um conjunto de dois ou mais discos rígidos.

Ela possui dois objetivos básicos: tornar o sistema de disco mais rápido, com o uso de Divisão de dados (RAID 0); ou tornar o sistema de disco mais seguro, usando a técnica de Espelhamento (RAID 1). As duas técnicas podem ser usadas isoladamente ou em conjunto.

A tecnologia RAID não é uma invenção nova. Ela foi criada por David Patterson, Garth Gibson e Randy Katz, em 1988, quando eles eram pesquisadores da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos.

Mesmo com o surgimento de novas tecnologias de armazenamento de dados, ela ainda continua sendo muito utilizada, e devido ao seu foco em segurança e velocidade, dificilmente isso mudará nos próximos anos.

Níveis de RAID

No RAID 0, um disco é utilizado em paralelo com o já existente, dividindo o conteúdo entre os dois HDs. Já com o RAID 1, um segundo disco é usado paralelamente ao primeiro, e funciona como cópia idêntica. Toda vez que há uma escrita, os dados são modificados nos dois discos ao mesmo tempo.

Nos dois casos, os discos são tratados pelo sistema operacional do computador como um único disco.

O RAID 0 é muito utilizado em aplicações que lidam com grandes volumes de dados e que não podem apresentar lentidão, como tratamento de imagens e edição de vídeos. O RAID 1 é claramente focado na proteção dos dados, ou seja, não torna o acesso mais rápido. Na verdade, pode até ocorrer uma ligeira perda de desempenho, pois o processo de gravação acaba sendo feito duas vezes, uma em cada unidade.

Na prática, o RAID 1 é usado mais como uma prevenção para proteger o sistema de falhas “físicas” das unidades.

Além do RAID 0 e 1, existem outros níveis que podem ser uma combinação dessas duas técnicas com alguns recursos a mais (RAID 2) ou a combinação desses dois níveis em conjunto com cálculos de paridade para determinar se algum bit está incorreto (RAID 3 e acima).

Todos os RAID a partir do nível 3 utilizam paridade. Esses outros níveis são utilizados por algumas empresas para aumentar ainda mais a segurança dos dados ou o espaço dos discos.

No sistema de proteção, baseado em paridade a partir do RAID 3, os dados são divididos em pequenos blocos.

Cada um deles recebe um bit adicional – o bit de paridade – que é colocado de acordo com a seguinte regra: se a quantidade de bits “1″ do bloco for par, seu bit de paridade é “0″; se a quantidade de bits “1″ for ímpar, o bit de paridade é “1″.

Assim, se em uma tarefa de verificação o sistema constatar que o bit de paridade de um bloco é “1″, mas existe uma quantidade par de bits, percebe-se que há um erro.

Deixe um comentário abaixo para sabermos qual sua opinião relacionada a este artigo, também visite-nos em: www.deltaservers.com.br/ para conhecer todas as soluções disponível para seu negócio.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.